sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Sem esperar




Caramba, já eu tinha coisas combinadas para Sábado à noite, quando inesperadamente me surge outro convite, só pensava “ eu não posso aceitar este convite porque se o fizer, é porque estou maluca”.
Mas aceitei e não me arrependo nada, mas nada mesmo e pela 1ª vez nestes últimos tempos, esqueci tudo o que existia à minha volta.
 
Entro na Net e metes-te comigo. A conversa foi engraçada e acabou de uma forma mais engraçada. 21.30 em minha casa. Devia mesmo de estar doida, sem te conhecer, convidei-te mas digamos que o meu 6º sentido me dizia que podia confiar.
Às 21.30 estavas cá. Digamos que estava nervosa, sem dúvida que sim, mas estava com uma adrenalina daquelas.
Apresentamo-nos e seguimos para minha casa a pé. Ainda era cedo por isso teria de ter cuidado por causa dos curiosos.
O caminho estava livre por isso entrámos, perguntei se querias alguma coisa e acabamos por ficar na sala.
Rapidamente pegaste na minha mão, puxaste-me e beijaste-me. Estava mesmo nervosa e por vezes é bom, as coisas serem assim. Percebi que a sala não seria o melhor lugar para ficarmos e passamos ao quarto. Estava de lingerie branca como tinhas pedido, quiseste que tirasse a roupa porque estavas passado com as minhas mamas. Agarraste-te a elas e chupaste-a. Tiraste toda a tua roupa e foi delicioso ver esse corpinho lindo, ao vivo e a cores e melhor ainda, poderia tocar-lhe e sentir o cheiro.
Esse caralho já mostrava a vontade imensa que tinha de mim e claro que aproveitei o facto de estares em pé, para brincar com ele. Adorava ouvir os teus gemidos e cada vez me empenhava mais em te chupar bem. Sai uma frase maravilhosa e que tenho ouvido muitas vezes ultimamente “chupas tão bem”.
Pediste para ir com calma por estavas com vontade a mais. Assim o seja, parámos e viste tu brincar com a minha rapadinha.
 
Já estava completamente molhada pois estavas-me a dar um tesão dos diabos. Começaste por enfiar 1 dedo, 2 dedos e eu já me contorcia de prazer. Estava a ser bom demais. Peço-te para parares volto novamente ao teu caralho mas desta vez fico deitada e tu fodes-me a boca. Paravas muitas vezes porque a vontade de te vires era muita. Voltaste a minha rapadinha e foi aí que acabei por me vir, fodeste-a tão bem com os dedos. Mais uma vez volto ao teu caralho, era uma delicia e rapadinho ainda melhor.
As tantas tiveste de colocar o preservativo porque já estava mais para rebentar do que para outra coisa.
Viste para cima de mim e isso sim, foi o melhor do dia, quer dizer, da noite. Fodeste-me tanto mas tanto que eu já me encolhia. O mais giro é que a vontade de te vires passou mais e explicaste-me a razão.
Depois de me teres fodido bem fodida perguntaste-me se havia a possibilidade de te vires na minha boca. Sinceramente não sou muito fã mas a ti não ia dizer que não.
Fiquei sentada na cama e tu de pé e foi uma delícia sentir esse leitinho na minha boca.
Ficámos a conversa durante algum tempo até que o meu telemóvel toca. Era ele, o rapaz da meia-noite.
Ah pois é, esta é a resposta ao inicio desta aventura que foi muito mas mesmo muito boa.

8 comentários:

Um dia de cada vez disse...

Fantástica historia, continua a aproveitar, a vida é tão curta...

Anónimo disse...

Ganda maluca!! Falas com um gajo pela net, convidas-o para tua casa, deixas que se venha na tua boca... Porra, mas tu jogas com o baralho todo?! Se um destes dias apareceres violada ou assaltada... Realmente, há gajas que estão mesmo a pedi-las, foda-se.

Lady Dragon disse...

Um dia de cada vez

São relatos guardados no meu baú e que agora decidi partilhar, mas sim, a vida é tão curta que aproveitei cada minuto da melhor maneira que pude, como costumo dizer, a vida é a maior aventura que podemos ter.

Lady Dragon disse...

Anónimo, a única coisa que sabes fazer aqui é criticares o que eu faço ou fiz? Quem és tu para o fazer? Nem tu nem ninguém, pois gajos como tu, não merecem sequer uma palavra da minha parte. Não gostas, não venhas aqui.

Anónimo disse...

Desculpa lá, mas nem é uma questão de criticar. É mais uma chamada de atenção para a realidade! Correu-te bem porque o gajo foi um porreiro, mas e se ele te tivesse enchido de porrada? E se ele te tivesse assaltado a casa? E se ele fosse um mal encarado e te violasse? Podes não querer gajos como eu, mas gajos como eu também não querem mulheres como tu. As maluqueiras têm limites e tu já os ultrapassaste a todos! Foda-se, deixas um estranho ir a tua casa e ainda se vem na tua boca. E juizinho nessa cabeça, não?

Tomates Grelos disse...

Conheço a sensação...é algo que só quem experimentou pode explicar ;)

Lady Dragon disse...

Tomates e Grelos

Se é ;)

Tomates Grelos disse...

A mistura do medo com a tesão é uma coisa explosiva...