segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

You and me

Queria-te sentir à tanto tempo e já não aguentava as saudades que tinha.
A vontade que tinha de foder contigo também era grande demais mas juntando uma coisa à outra, o resultado é maravilhoso.
Não passei muito bem a noite mas mesmo assim tentei estar bem quando fosse estar contigo. Queria sentir-te junto a mim, os teus beijos, o teu abraço o teu calor e o teu corpo.
Quando cheguei já esperavas por mim. Passei para o teu carro e fomos em direcção ao motel. Hoje vou-te levar a um que ainda não foste e que é o mais giro de todos.
Chegando, decidimos arranjar tudo para ficarmos mais confortáveis. Estava quentinho no quarto mas mesmo assim ainda tínhamos frio e isso só ia passar quando a gente se agarrasse um ao outro.
Não houve tempo para tirar a roupa com delicadeza nem com tesão, despimo-nos e enfiámo-nos na cama, bem juntos.
Namorámos um pouco, falámos de nós e do que sentimos um pelo outro. Coisa estranha porque quem te conhece não irá entender como foste capaz de ficar a gostar de alguém.
Ainda abraçados, olhaste para mim, beijaste-me e disseste que era linda. Tão bom ouvir-te dizer isso.
Bem, mas deixando de lamechices, tínhamos de aquecer como deve de ser e vieste para cima de mim. Que bom é te sentir, estavas tão duro e eu estava a gostar tanto.
Brincaste com a minha cona e querias-me dar um orgasmo só com os dedos mas não estava fácil. Sexo oral tinha tantas saudades de sentir uma língua na minha coninha, não sou muito fã mas estava a saber tão bem.
Vieste para cima de mim e penetraste-me. Porra, ao tempo que não sabia o que era um caralho cá dentro. Fodeste-me tanto e cada vez pedia-te para me foderes mais, perguntava se gostavas de me foder e dizias que sim e cada vez mais me fodias com mais força.
Depois, meteste-te de barriga para baixo e eu meti-me em cima de ti. Olhavas-te no espelho e vias a minha figura em cima de ti e via-se que gostavas do que vias. Rocei-me tanto em ti mas tanto tanto que acabaste por ter um orgasmo. Incrível como alguém é capaz de ter tanto prazer assim e ainda por cima ter um orgasmo.
Descansamos um pouco, fumamos um cigarro e depois voltamos à acção.
Levei uns lenços para me amarrares. Coisa linda de se ver, o sentimento de não poder fazer nada porque estou amarrada, é que dá tanto tesão.
Foi então que foste buscar os meus brinquedos. Meteste um no meu cu, outro na cona e com a língua brincavas no clítoris. Passei-me por completo, mas é que me passei mesmo só que apesar do prazer que sentia, não estava a conseguir ter um orgasmo. Não interessa.
Pedi-te para me desamarrares e agora seria a minha vez de me vingar.
Depois de lavar os brinquedos, decidi brincar eu contigo.
Novamente de barriga para baixo, comecei a explorar o teu cuzinho. Desde o primeiro dia que manifestaste essa vontade mas nunca tive coragem.
Peguei então no anal que tenho e coloquei um pouco de lubrificante. Com todo o cuidado comecei a penetrar-te. Ouvia os teus gemidos e tinha algum receio mas dizias para enfiar mais até que chegou à parte mais grossa. És mesmo valente, pois não é qualquer um que aguenta o que aguentaste.
Pedias para te foder com mais força e aquela sensação era fantástica, adorei ser eu a foder alguém em vez de me estarem a foder a mim. Juntamente dava-te umas palmadas e tu já estavas completamente louco.
Não te viste mas tanto tu como eu estávamos exaustos da brincadeira.
Ficámos o resto do tempo, abraçados e disseste que estavas disposto a arriscar em algo sério comigo porque gostas de mim e sentes-te bem comigo.

3 punhetas para mim


Não perdendo muito tempo com troca de palavras, marcámos encontro.
Carcavelos, foi o local escolhido mas havia grande confusão devido ao sol que estava e que convidava muita gente a sair de casa.
Cheguei atrasada e tu quase pronto para te ires embora. Mas valeu a espera.
Como te disse não gosto muito de me encontrar com alguém que nunca vi mas desta vez estava confiante demais e decidi arriscar.
Rapaz alto, giro, olhos claros e com uma profissão que eu gosto, usa farda.
Fomos beber um café e decidimos depois ir para um local mais calmo.
Passaste para o meu carro e depressa me beijaste. Gostei desse beijo sim, estava um delicia e juntamente as tuas mãos passavam pelo meu corpo, pelos meus seios.
Depressa as coisas evoluíram para outro campo e perguntaste se eu queria ver como era o teu caralho uma vez que já me tinhas dito que ele era grande.
Bem tínhamos de ver isso e então baixas as calças e eis que ele aparece, grande não era mas grosso sim, e bastante.
Perguntaste então se estava disposta a dar uns beijos e a brincar um pouco com ele. Enquanto te beijava, acariciava-te e ouvia os teus gemidos. Claro que não gosto de deixar as coisas pelo meio e de repente passei com a língua lá. Estremeceste ao senti-la.
Mas tive alguma dificuldade em abocanhá-lo porque era bastante grosso mesmo.
Depois começaste por me acariciar e então coloquei-me de maneira a que pudesse abrir bem as pernas para me poderes tocar melhor.
Não levou muito tempo até atingir um orgasmo e quando é proporcionado por uma mão masculina, ainda sabe melhor.
Voltei ao teu caralho que no entanto era delicioso e muito. Mas a minha boca anda um pouco destreinada e depois de estar ali algum tempo a mamar-te acabaste por perguntar se eu queria-te ver a bater uma para mim. Claro que sim, adoro ver isso. Rapidamente te vieste e o que acabei mais graça foi quando o teu leite saiu, foi directamente para a tua cara e boca. Coisa linda de se ver.
Ficámos mais um pouco à conversa e acabámos por voltar ao mesmo. Perguntaste se eu queria outro orgasmo, sabias bem que não podia foder contigo por causa de um acordo que eu tinha com outra pessoa.
Fizeste-me vir novamente e desta vez com mais intensidade e em seguida invisto novamente no teu caralho.
Já estava a anoitecer mas mesmo assim passavam por ali alguns curiosos.
Mais uma mamada e mais um orgasmo, mais uma punheta. Grandes malucos.
Mais 2 dedos de conversa e só pensava em como seria bom sentir essa cabeça grande a entrar na minha cona, coisa que já não sentia à mais de 1 mês.
Mas não dava mesmo, não gosto de falhar a minha palavra e ficámos por ali. Tu é que bateste mais uma para mim e eu adorei.
No entanto nunca senti o sabor do teu leite na minha boca, não sei porque mas desta vez não me apeteceu isso.
Fica para uma próxima mas quero-te sentir bem cá dentro, pois acho que me enches as medidas.

Para ti



De noite serás uma estrela que brilhará intensamente e que irá iluminar quem mais precisar.


Descansa em paz querida amiga.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

A recompensa

Hoje dia 23 foi dia de sair mais cedo. Tinha um assunto para tratar e sabia que à noite teria um outro assunto, mas este era mesmo inadiável.
Comecei a ver as horas a passarem e pensei mesmo não consigar tratar da 2ª situação.
Foi então que te enviei sms a dizer que estava despachada e disseste para ir a tua casa.
Chegando ficamos um pouco no sofá mas rapidamente puxaste-me para ti e beijaste-me.
Que delicia de beijo, aliás, és todo uma delicia.
Fiquei foi surpresa porque quem olha para ti, pensa que és muito sossegado mas fiquei surpreeendida quando me agarraste à bruta e me beijaste, me deitaste para trás no sofá e eu abri as pernas para te sentir. Tiraste os meus seios para fora e chupaste bem devagar.
Puxaste para me levantar e roçaste-te no meu cu, querias fode-lo, mas estava tão cansada e sem o banho tomado que não deu mesmo.
Depois sentei-me outra vez e meteste as calças para baixo, ali estava ele.
Hum, ja se sabe como gosto de começar e então lá andei eu com a minha lingua a explorar esse caralho delicioso.
Abocanhei-o mas não por muito tempo, tu empurraste-me para trás novamente e querias mesmo era o meu cu mas nao deixei.
Sentaste-te tu no sofá ali bem ralaxado e à espera da minha boca, voltei a investir no teu caralho bom e assim de repente, vens-te. Não na minha boca mas sim em ti.
Da próxima não escapas mesmo e vais ver quem eu sou mesmo a sério.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Aos pares

é que é bom, quer dizer, não é nada do que estão a pensar.
Troca de mensagens que durava à bastante tempo mas este meu problema adiava o nosso encontro.
As mensagens ontem ja me estavam a deixar fora de mim e não pensando mais nisso, aceitei o convite dele.
Antes de ir ter com ele fui conhecer um admirador meu. 29 anos, lindo de morrer, corpo atlético (antes não ligava a isso mas agora ligo e cada vez mais, mas tudo tem as suas razões), simpático e muito terra-a-terra.
Fomos até à Marina beber um café o qual fez questão de pagar. Falámos, trocámos a nossas experiências pela net e as horas passaram a correr.
Gostei quando comentou que nem deu conta das horas passarem e que quando isso acontece é porque a companhia é boa.
Fiquei na duvida porque não sabia se estava a gostar ou não.
Depois de nos despedirmos com 2 beijos, iniciámos nova troca de mensagens, isto enquanto esperava pelo meu amigo.
Dizia para desmarcar e ir ter com ele já que estava pertinho de sua casa. Vontade não me falatva mas acontece que eu tinha um caralho, um dos melhores, à minha espera.
Finalmente ele chegou e parei com as mensagens.
Passo para o carro dele e só de o ver, estremeci. É daquelas pessoas que quando se despe, deixa-nos de boca aberta.
Arrancámos em busca de um lugar escuro. Não foi dificil aqui na zona.
Tirou o casaco e eu o meu. Ja estava a ficar calor. As suas mão tocaram logo nos meus seios, que sensação. Queria o meu bico duro na sua boca. Que tesão estava a ter e não podia sequer foder com ele.
Tirou as calças e eis que o meu menino lindo e grande aparece, liso, perfeito e cheiroso de mais.
Fiquei a olhar para ele com ar de quem o queria sentir dentro de mim mas não podia.
Foi então que ao de leve passei com a minha lingua, soltou um 1º gemido, adorei ouvi-lo.
Passei a lingua toda para o explorar, passei também pelos seus colhões e mais abaixo ainda, estava na loucura.
Depois molhei-o como ele gosta e abocanhei-o todo, agarrava nos meus cabelos e movimentavas a minha cabeça a seu gosto.
Tive de parar para respirar e descansar um pouco mas rapidamente voltei a investir em ti. Abriu bem as pernas de modo a que lhe conseguisse lamber como sei que gosta.
Foi então que a minha lingua desceu, desceu e desceu até ao seu cu e aí sim, soltou um grito fantástico ao sentir a minha lingua lá quase a entrar no seucu e eu estava mais do que maluca. Só me apetecia saltar para cima dele e fode-lo como gosto.
Voltei ao seu caralho e voltei a molhá-lo bem. Ao mesmo tempo que o chupava e brincava com a minha lingua, enfiava os dedos na minha boca e não sei porque raio de motivo mas fiquei com mais tesão ainda, não estava a acreditar que aquele seu gesto tão simples me metesse daquela maneira.
Continuando a mamar, brincou com os meus bicos bem tesos e dizia para eu apenas chupar porque se estava para vir.
Adoro quando se vens na minha boca. Comecei a sentir o leite a sair daquele caralho e a entrar todinho na minha boca, essa tesão ficou toda comigo e não se perdeu nem um pouco.
Falámos depois sobre o facto de irmos estrear a sua casa, estou ansiosa por isso.
Chegando ao meu carro, continuo as mensagens com o outro amigo, ele disse mesmo para eu ir ter a casa dele mas ja não dava. As mensagens continuaram até que te enviei ums fotos minhas as quasi tu ficaste passado.
Mas acho graça que és muito educado e a conversa nunca desceu de nível.
Adorei ver esse teu corpinho pela foto e vou gostar mais de ver ao vivo.
Hoje não me escapas não.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Saudades


disseste tu quando me beijaste.

O teu beijo foi um beijo de alguém que estava louco para me ver, para me abraçar, para sentir o meu calor.

Adorei sentir-te assim, com essa vontade de mim.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Eu sabia sim...



...sabia que isto prometia e a prova foram as palavras escritas por ti, o sentimento que demonstraste e o qual sou sincera e digo que não esperava.

Quero estar contigo, sentir-te e saber o que sentimos, o que queremos. Sabes que não estou preparada mas uma coisa é certa, adoro-te.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Bater do coração



Embora estivessemos estado juntos a semana passada, nada nos impediu de marcarmos um jantar.

Passei a tarde no ginásio e por volta das 21.15 fui ter ao local combinado.

Esperei por ti 2 minutos e chamaste-me para ir para o teu carro.

Quando entrei, beijei-te como sempre e como sempre tem um sabor especial. Fomos em direcção ao restaurante, eu faminta e tu cheio de frio.

Chegando fizemos o nosso pedido e ficámos à conversa. Adoro esse teu sentido de humor e de brincadeira, é giro mesmo e isso faz-me sentir bem ao teu lado. Mas o que mais gosto mesmo é que de tanta gente qe conheço, tu és a pessoa que mais tem compreendido o problema que tenho neste momento, és paciente.

Depois de jantarmos, fomos embora do restaurante, o jantar estava muito bom e à muito tempo que não ia aquele restaurante. Não tem nada de especial mas servem uns haburgueres deliciosos.

Querias fumar um cigarro e eu também então disse-te para pararmos no Estoril para o fazermos. Aproveitamos para dar ums beijocas e o mais giro é que embora as beijocas ja estivessem a ficar perigosas, houve uma delas que me tocou bastante. Não sei se foi pela musica que estava a iniciar, mas sei que tu começaste aquele beijo de forma diferente, foi intenso e confesso que o meu pobre coração bateu mais forte que o costume.

Não sei o que ali se passou, mas que se passou algo isso sim.

Aproveitamos também para fazer um acordo. Serás tu que irás me foder depois de toda esta ausencia de sexo, a qual me vi obrigada.

Gosto muito de ti meu tarado e em breve iremos fazer tudo o que queres.

Ja agora obrigado por tudo.

À beira da estrada

Já depois de te ter provado com a boca e ter mesmo achado que queria mais do que isso, combinámos novo encontro sem perder mais tempo.
Digamos que ia nervosa, nem sempre acontece mas quando algumas das pessoas nos tiram um pouco mais do serio, acabamos mesmo por ficar neste estado.
Combinámos na bomba. À hora marcada lá estavas tu.
Quando sai do carro, olhaste-me de alto a baixo. Reparaste que estava de vestido mas não sabias o resto da indumentária. Fui beber um café rápido o qual me fizeste companhia.
Não perdendo mais tempo do pouco que tínhamos, fomos directos ao local por mim escolhido mas quando chegamos lá, reparo que esse local não existe mais e por ali não conheço outro. Estavas mais preocupado em me ter do que outra coisa e depois de uma volta dada para reconhecimento da zona, estacionamos os carros à beira da estrada e foi ali que ficámos.
Passei para o teu jipe, carro óptimo para foder. Alto e com vidros escuros. É também espaçoso e sempre dá para darmos mais largas à nossa imaginação.
Ao subir para o mesmo reparas que estou de meias de ligas e reparei no teu olhar o quanto te estava a agradar. Pediste para tirar as botas e passaste com as tuas mãos pelas minhas pernas. Tinha tanto frio que de um momento para o outro, as coisas estão quentes e bem quentes. Desatámos aos beijos, beijos daqueles que nos fazem ficar no ponto certo, beijos quentes, molhados e com muita língua. As tuas mãos passavam por todo o meu corpo. Tirei o casaco e fiquei de alças o que tornou mais fácil a tua aproximação aos meus seios.
Estava-te a agradar de mais o que tinha por baixo do vestido, as ligas, as meias, a cueca, enfim, tudo mesmo.
Não quis que me tocasses mas eu quis-te tocar sim, quis-te mamar mais uma vez. O que u queria mesmo era sentir-te dentro de mim, precisava mesmo de sentir alguém como tu, tesudo, sexy e doido demais.
Depois de meteres o preservativo de uma cor estonteante, sinto-te a entrar em mim, ou melhor, eu meto-me em cima de ti e sinto que entras devagar, eu tenho o comando, eu vou lentamente fazendo os movimentos que me levam à loucura, ao tesão, ao desejo de querer mais e mais. Depois de estares todo em mim, começo com movimentos mais rápidos, começo sim a portar-me como uma maluca que só te quer sentir e foder. O que querias a seguir já eu sabia muito bem. O meu cu. Meti-me de quatro de modo a que me penetrasses com maior facilidade, mas a tarefa veio a revelar-se bastante difícil. Não estávamos a conseguir a penetração, penso que o nervosismo da minha parte estava a estragar a coisa. Digo-te para me foderes a cona outra vez, e depois disso conseguimos sim. Sentia que estavas a ter imenso prazer ao foder-me o cu e enquanto isso, acariciava o meu clítoris e gemia de tanto prazer ao mesmo tempo.
Já um pouco cansado pedes-me para me deitar e abrir as pernas e percebi que querias novamente investir na minha cona. Mudaste o preservativo e investiste com força. Mas que cena tão boa ver a tua reacção, ver a tua expressão enquanto me fodias, bonito sim. Passado alguns minutos dizes que te estas para vir e nesse mesmo instante consigo também atingir o limite e ao mesmo tempo conseguimos um orgasmo incrível. Os dois a gritar de tanto prazer.
Agora quero-te só para mim mas num quarto.

25/11/2009

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Rapazes giros


Estes meninos estão cada vez melhor e este é o exemplo de um dos que fui conhecer. E eu também estou cada vez melhor.

Estou-me a preparar para 1 semana de férias e espero eu, que seja fantástica e produtiva.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Fui


Sinto que já não fazes parte de mim e nada mais esperarei de ti.

Como tudo na vida, há limites e eu cheguei ao meu.

Ola

meus queridos leitores. Claro que ja perceberam que tenho estado ausente.
Não tenho escrito nada porque o meu estado não me tem permitido ter as minhas fantásticas aventuras mas espero em breve voltar em grande.

Desta vez, quero agradecer a alguns dos meus leitores por me acompanharem na mesma por telemovel.

Em breve voltarei.

Bjs a todos

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Obrigado

Quero deixar aqui o meu agradecimento a todos os que me apoiaram e também aqueles que não o fizeram.

Claro que não é novidade mas é nestes momentos que conseguimos perceber quem vale a pena e quem não vale.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Speed date



Decidi fazer um resgito num dos muitos sites que por aqui há. Entretanto percebi rapidamente que não tinha mãos a medir com a quantidade de abordagens que me estavam a ser feitas.
De tanta gente que lá apareceu, ficou gravado no meu telemovel, o numero de um menino que pelo que parecia, tinha muita pressa em falar comigo.
Quando sai ele ligou e gostei da voz e da conversa. Combinámos algo para o dia seguinte mas as coisas mudaram de rumo e acabámos mesmo por os conhecer ontem.
Em casa ainda o vi no msn e pelo menos fiquei com outra ideia de como ele era.
Ele estava perto de mim e para quê perder tempo?
Grande estilo o do rapaz, descontraido mas um pouco calado, detesto isso.
Fomos dar uma volta e parámos em frente à praia.
Conversámos um pouco e assim de um momento para o outro já estávamos aos beijos. Coisa maluca eu fiz.
Falo com ele umas horas antes e depois já estamos ali aos beijos.
Claro que a coisa não ficava por ali. Passámos para o banco de trás e como os vidros são escuros, era na boa.
Foi então que nos beijámos feitos loucos e ele queria saber se o que estava na foto era mesmo meu. Desapertou o meu soutien e toca de mamar nas minhas mamas.
Diz que são boas e fofas e que as adora. Pelo andamento da coisa vi logo que ele queria mais mas eu nao podia e como não estava com vontade de deixar o rapaz a ver navios, toca de lhe fazer uma grande mamada.
Mas que caralho delicioso ele tinha ali. Agarrei-o com as duas mãos e dava para sentir como estava liso, limpo e cheiroso.
Claro que comecei por lá meter a minha lingua ao de leve, para ele sentir o calor da minha boca.
Ouvia os gemidos dele e estava mesmo a dar-me um grande gozo.
Mamei tanto aquele caralho adorável que ele acabou mesmo por se vir na minha boca.
No final, arranjámo-nos e abraçamo-nos um ao outro, assim sem nos conhecermos.

Ficou no ar a vontade de querer mais e eu também quero exprimentar aquele tesão de 33 anos.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Presente



Ola Eva queres almoçar-me?


Foi assim que alguém muito especial me presenteou e me convidou (pena a fraca qualidade da foto)

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Como

me sinto? Sinto-me bem, sinto-me calma como nunca.

Mas na minha cabeça, surgem algumas questões embora nem me esteja a preocupar com isso.

Aprendi que quando chegar a altura, logo vejo. Não vou fazer qualquer tipo de planos e o que tiver de ser, será.

Agora tu. Tu que me fazes sentir como ninguém o faz, que me aqueces

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Fim-de-semana


Por motivos pessoais, informo que não me será possivel escrever sobre o fim-de-semana.

Posso adiantar que foi aquilo por que tanto sonhei, aquilo que tanto desejei.


Obrigado meu querido

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

No WC


"quem me dera ser teu colega de trabalho para poder sentir o sabor dos teus dedos"


Dito por alguém a quem eu disse que tinha ido ao WC para me masturbar.

Mulheres


Sinceramente não consigo entender estas "gajas".


Quase todas querem um experiência com uma mulher e depois quando chega a altura, umas dizem que afinal não querem ou então que querem ser comidas mas não querem comer.

Continuam as complicadas de sempre.

Não consigo



encontrar palavras que consigam descrever o meu estado de espirito

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Mr. C


Foi assim que fui ontem para ti.


(peço desculpa pela fraca qualidade na imagem mas o tesão era muito)

De volta



Como foi bom ter-te de volta, sentir o teu calor, poder passar as mãos no teu corpo, no teu peito.
Assim que saimos do carro, caiu logo um elogio à minha roupa, ao meu casaco que adoraste.
Demos um beijo para matar a saudade e passaste as mãos nas minhas pernas para saber o que trazia por baixo.
Body de renda com liga e meia a condizer, bota de cano alto como tu gostas e sem cueca. Queria estar livre e desimpedida quando me quisesses tocar.
Falámos, demos beijos doces e quentes, abraçamo-nos, enfim, as coisas do costume e que a gente não consegue deixar, penso eu.
Disseste que me querias "minetar", mas eu queria era foder. Saltámos esse passo, andámos ali a roçar um no outro. Nem sabes como estava a ser bom sentir-te, sentir como estavas duro para mim.
Estava muito frio mesmo mas mesmo assim meteste o "meu" caralho de fora para fazer o broche dos broches, como tu dizes.
Saudadinhas do meu menino grandinho. Duro e grosso só para mim.
Assim que lhe toquei com a lingua, soltaste um grande gemido e também o comentário do broche que eu faço.
Adoro, adoro e adoro fazer-te. Gosto de agarrar nele com a mão e levá-lo à minha boca. Enche-me as medidas por completo e por mais que negue muita coisa, não consigo deixar de mostrar que tu serás sempre tu, nós seremos sempre nós e isso ninguém conseguirá nunca.
Sei que me vou arrepender do que estou a escrever mas é o que sinto neste momento.
Que delicia é estar a mamá-lo. Ao meteres o preservativo, olhaste bem para o que trazia vestido e comentaste que realmente eu sou um perigo e que em breve, quando aquilo que a gente sabe acontecer, eu vou mesmo ficar uma "gaja" daquelas e que depois não me apanhas nunca. Tu é que disseste e não eu.
Queres-me foder em cima do carro mas não estava a resultar. Meti-me então de costas para ti e entraste em mim por trás.
E como te digo, por mais que negue, não consigo. O prazer é sempre o mesmo ou mais ainda e estava-me a passar. A passar por te sentir a entrar em mim, pelos movimentos que fazias agarrado à minha cintura.
Fomos para o banco de trás e aí consegui fazer o que adoro que é meter-me em cima de ti e foder-te.
Aquilo é que foi, estava louca de tesão e meti-me em cima de ti, dancei em cima de ti e sentia-o a tocar lá.
Que foda estava a ser, montei-te como já não o fazia e acho que foi para me vingar da ultima vez que tivemos. Do orgasmo que me devias ter dado e nao deste.
Ao pensar nisso juntamente com a conversa que estavamos a ter enquanto te montava, começa a aproximar-se o momento e digo-te que me vou vir.
Perco a reacção e quase nao me mexo e nem falo, estou a ir ao céu, estou-me a sentir como à muito não me sentia.
Fico cansada mas volto à carga. Monto-te mais um pouco e sinto novamente um enorme prazer.
Esqueci-me de ligar ao meu amigo para eles nos ouvir a foder.
Passámos então à foda outra vez.
Falas que tens umas quantas fodas em vista. Dizes que já estiveste com quase todas, menos com uma. Fode com elas e depois conta-me como foi.
Meto-me de 4 e tu por trás fodes-me. Envio sms a ele para me ligar e ele liga. Fica ali a ouvir-nos a foder, a falarmos. Tu a chamares-me puta, eu a pedir-te para me foderes.
Trocamos novamente e vens pra cima de mim.
Tesão do caralho que estava a ter. Só tu sabes como fazer.
O que tu querias era que acabasse com um broche meu e assim foi. Mandei-te sair e tirar o preservativo.
Sentaste-te de pernas abertas. O meu amigo continuava do outro lado. Comecei a chupar e a cuspir no caralho, cada vez que o fazia, tu passavas-te, adoras quando o faço.
Com ele bem molhado, mamava-o cada vez melhor e com mais vontade. A minha mão juntava-se à festa, acompanhava os meus movimentos com a boca, e começo a sentir que estas para te vir.
Foda-se, ei vem ele para a minha boca e depois ainda dizes que não sabes como sou capaz de fazer um broche assim tão bom, o broche dos broches.
Quando se junta algo a tudo isso, tudo é feito de maneira diferente, pena tu não entenderes isso.
Quanto ao meu amigo, adorou mas não ouviu tudo por que fiquei sem bateria mas diz que gostou imenso de nos ouvir.


segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Liked?

E foi assim que me vesti para ti ontem à noite.

Disseste que me querias rasgar a roupa mas pedi-te para não o fazeres. Em opção a isso, pediste para ir apenas de lingerie e casaco.
Não pensei 2 vezes e assim o fiz.

Foi a loucura total, ir assim vestida.
Fizeste com que vestisse pela 1ª vez, algo que tinha lá guardado e que só podia ser utilizado num dia especial e para alguém especial.
Chegando, falei-te com um beijo suave nos lábios. Quiseste saber se estava como pediste e para verificar isso, passaste com a mão na minha perna.
Fomos beber o nosso café e à saída, encostaste-me à parede e beijaste-te cheio de desejo para me possuires.
Para te sentir melhor, levanto a minha perna e deixo a liga aparecer. Beijámo-nos ali que nem uns loucos, cheios de vontade de nos possuirmos ali mesmo.
Fomos para o carro e para um local mais sossegado. Este momento merecia uma cama, mas à falta de melhor, temos o carro.
Chegando, tiraste-me o casaco e fiquei só de lingerie dentro do carro.
Tocaste-me e quiseste o meu sabor na tua boca. Essa lingua estava louca e por mais incrivel que pareça estive a muito pouco de ter um orgasmo só de lingua.
Aparece um carro e lá se vai o orgasmo. No entanto continuaste com os dedos e lingua e acabo mesmo por me vir na tua boca.
Beijas-me com grande entusiasmo e com o meu sabor. Que bom é senti-lo.
Invertemos os papéis e agora sou eu que te vou provar, ou melhor, matar saudades.
Adorei o teu gemer assim que sentes a minha boca em ti.


O resto ficará por conta da vossa imaginação.

College boy



Perguntavas tu se era necessário levar algo quando nos fossemos conhecer, claro que não, tu chegavas.


Combinámos num sitio que ambos conhecemos e que é bastante agradável. Assim que te vi, adorei. Tens um ar muito fofo e penso que ficámos à vontade um com o outro.

No entanto ninguém avançou para nada mas parece que ficou a vontade no ar.

Touch


"Gosto de me tocar a pensar em ti, faço-o todos os dias."

Claro que o meu ego fica em alta ao saber que tu o fazes com o teu pensamento em mim.
Vou-te compensar por isso. Agora escolhe como queres que o faça.

Não há sexo

não há post.
Foi assim que alguém me abordou após termos combinado um café para nos conhecermos.
Reparou que nada escrevi, é verdade mas se também não o fiz foi porque não achei muito importante, talvez o formato do blogue na altura, fosse mesmo só em volta do sexo, e por isso decidi ficar no silêncio.
Não posso deixar de dizer que adorei conhecer-te.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Fuck



procura quem satisfaça os teus caprichos
as tuas birras
o teu egoísmo
eu para ti
JÁ ERA
FUI

Fever


Never know how much I love you
Never know how much I care
When you put your arms around me
I get a fever that's so hard to bear
You give me fever
When you kiss me
Fever when you hold me tight
Fever in the morning
Fever all through the night


(Peggy Lee)

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Vamos?

 
Queres ir mais eu?
Queres ver como me porto?

Estou


 
com uma vontade louca de ser possuida. Será por ti?

O carro do lado


deve de ter visto tudo o que se passou no nosso carro.
Ontem fomos para um local diferente. Antes disso passeamos um pouco. Fomos abraçados e adoro sentir o calor da tua mão em mim.
Sentámo-nos no banco a conversar sobre algumas experiências que gostavamos de ter um com o outro.
Como começou a chover, fomos embora. Chegando ao carro, reparámos que haviam mais carros estacionados mas isso não nos impediu de fazermos "o amor".
Mais um vez o vestido deu jeito. É novo e até foi bem estreado contigo.
Após ums trocas de beijos loucos, eu passei para o teu lado, meteste-te em cima de mim já eu me sentia completamente molhada.
As mamas já estavam de fora e brincavas com elas com gosto e satisfação.
Não dava para fodermos assim porque alguém iria ver mais do que devia e então passo eu para cima de ti.
Delicia sentir-te a entrar em mim e cavalgar que nem uma maluca, com o casal do carro ao lado a ter espectaculo.
Isso não importa nada e até estava a dar mais vontade de o fazer.
Após algum tempo assim e sem aguentar mais, avisas-me que te estas para vir e eu assim do nada começo a ir ao céu juntamente contigo.
És diferente, especial e olhas para mim de uma maneira que gosto muito. Não me iludes e o que tiver que ser é.

Adoro-te mais que tudo e quero que saibas isso.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Queres-me assim?



Então provoca-me.

Sim, estou aqui

Dizias que só quando estivesses comigo, a tocar-me, a sentir o meu corpo, é que irias acreditar.
Chegando ao quarto do motel, fui tomar um banho.
Estava cansada e nem me apetecia deixar a água quente, mas no quarto esperava-me algo mais quente ainda.
Sai só de toalha, desculpa a falta de lingerie mas não deu pelo motivo que te expliquei. Pelos vistos gostas imenso mas fica para uma próxima oportunidade que eu espero que exista.
Abriste o champanhe enquanto estava no banho, já tinhas bebido um pouco. Esperavas por mim sem roupa, só de cuecas.
Estava a adoras ver o teu corpo. És lindo, sabes disso, adoro o teu rabo bem redondo, para não falar do teu caralho que adorei chupar. Gosto imenso dos teus olhos, grandes, expressivos, o teu queixo com essa covinha linda e os teus lábios que me deixaram louca com os beijos que trocámos e que segundo tu, foram beijos maravilhosos.
Beijaste-me as costas, adoro adoro, exploraste cada pedacinho, fizeste-me arrepiar de prazer.
Deitaste-te em cima de mim. Sentia-te duro. As tuas mãos passavam pelo meu corpo, dexiam até às minhas coxas e aí começou o verdadeiro prazer.
Penetraste-me com os dedos e senti que ia explodir de prazer. Sabes bem o que fazer para dares prazer a uma mulher.
Fodias-me com eles ao mesmo tempo que me davas umas palmadas e puxavas o cabelo.
Foi um tesão incrivel e quase que me venho, mas não queria. Queria sim sentir-te dentro de mim mas primeiro teria de te explorar. Teria de ver de perto esse caralho perfeito que tens.
Continuavas com os dedos nela e eu apresentei-me a ele. Ui, que delicia. Só dizias que estava a ser um broche descomunal. Aproveitaste e fodeste-me a boca.
Para ficar mais bem feito, deitaste-te de pernas abertas, assim sim, conseguia chupar melhor e poder olhar para ti enquanto o fazia.
Gemias de prazer, só dizias que a minha boca era quente demais. Chamavas-me puta.
Não queria que te viesses já e então passamos ao que mais interessava.
Depois do preservativo colocado, meto-me de quatro à espera que entres em mim. Que bom é sentir-te ao fim de tantos desencontros.
Fodeste-me bem sim, e aquela tua posição é bem louca, pouca gente o faz e é muito mas muito boa mesmo.
Sem te conseguires controlar acabas por te vir e pedes-me desculpa. Não tinha problema isso ter acontecido, pois o prazer que me propocionaste antes tinha sido imenso.
Descansamos, conversamos, sei lá, comeste os chocolates, és um guloso.
Quase perto da hora de irmos embora, começas novamente a beijar-me as costas, a acariciar-me e como vejo que te tocas ao mesmo tempo, agarro no meu vibrador e começo a brincadeira.
Aquilo excitou-te demais, deu para reparar, a visão que tinhamos das nossas figuras, através do espelho que estava por cima de nós, era fantástica e dava ainda mais vontade.
Dizias que estavas a gostar de ver o que estava a fazer e assim do nada tu vens-te e eu também.
Fiquei exausta do orgasmo e de exprimentar essas sensações assim. Não é costume fazer estas coisas com alguém a observar, mas dá-me gosto fazê-lo.
Quero-te outra vez, sentir-te outra vez e quero que me fodas como gostas e como queres.
Da próxima haverá supresa.
Adoro-te rapaz.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Mas que noite tão boa



Adorei quando no alpendre, estivemos próximos de dar uma foda.
Fiquei completamente louca de tesão por estarmos ali fora, eu a roçar-me em ti a falar sozinha por ter de me controlar e tu a dizer que adoravas quando eu ficava assim.
Virei-me de costas para ti para ti, e dancei para ti, senti o teu calor nas minhas coxas, as tuas mãos na minha cintura, o desejo que já te invadia, a ti e a mim.
Fomos para dentro, tomei um duche o qual tu apareces para me fazer uma surpresa. Adorei. Já não sentia um corpo molhado junto ao meu há algum tempo.
Já não conseguindo controlar mais o desejo, saímos e fomos para a cama. Saltei para cima de ti com vontade de te sentir dentro de mim. Brinquei com o meu menino que tanto gosto, mas depois rocei-me em ti sem o deixar entrar embora a vontade fosse mais que tudo.
Trocámos e vieste tu brincar com a minha rapadinha e fizeste questão de usar o vibrador em mim. Nunca o fizeste com ninguém e notava-se bem no teu rosto que aquilo te estava a deixar louco.
Á medida que brincavas com ele, com a lingua brincavas no meu clitoris. Porra que ia-me vir depressa demais e assim foi. Vim-me mas tentei controlar os gritos do prazer que estava a ter.
Não paraste e o vibrador continuava ali. E tive outro orgasmo logo de seguida.
Pedi-te para pareres e para entrares em mim.
Depois de colocado o preservativo, pedes-me para me meter em cima de ti. Aquilo é que foi a loucura.
A tua expressão deixa-me doida, nunca vi ninguém que deixasse transparecer no rosto o prazer que está a ter.
Foi então que passei à minha posição de eleição. Disseste que assim não ias aguentar muito tempo e assim que o disseste eu fiz questão de te foder ainda mais e tu vens-te de uma maneira que só visto.
Fomos para a rua, tu de cuecas e eu de toalha, sentados a fumar.
Voltámos e lá fomos nós para outra foda brilhante.
Sabes, estes momentos contigo são fantásticos. A tua boa disposição fascina-me e o facto que eu ser a porta para muitas das tuas experiências, por mais básicas que sejam, fascina-me ainda mais.
Para não falar de outras coisas que adoro em ti, de uma ponta à outra.
És unico.

Jantar com um desconhecido



Pela 1ª vez fui conhecer um leitor do meu blogue, com direito a jantar.
Todos os convites são feitos para um café e desta vez foi diferente, logo, já fizeste a diferença.
As duvidas estavam no ar, não sabia se ia gostar de ti ou tu de mim, mas sim, és um tipo simpático, com algum sentido de humor e muito doido mesmo.
Assim apresentados, fomos para o restaurante. Estava um pouco cansada porque tinha vindo so Salão Erótico e estava bastante calor lá dentro, para não falar que o Sábado foi um dia com o tempo todo preenchido. Penso que as vezes, os dias deviam de ter 25 horas.
Nunca tinhas experimentado a cozinha Japonesa, eu sim e adoro por isso comi bastante, as saudades daquele restaurante eram muitas e com a conversa nem damos conta da quantidade de comida que comemos.
Foi sempre um conversa interessante e a meio do jantar estive mesmo para te fazer uma maldade, mas não dava, ainda tirei o sapato mas tinha a certeza que muita gente ia ver.
Só queria mostrar o quanto me tinhas agradado.
Acabando o jantar fomos embora. Parece que combinámos onde haveriamos de estacionar os carros uma vez que ficaram perto um do outro.
Estivemos um pouco à conversa na rua. Já estavas com um ar cansado e acho que eu também não estava melhor do que tu.
Fiquei com a sensação que querias algo mais antes de irmos, não sei bem, talvez um beijo mas não me senti à vontade para isso.
Lembro-me que disseste durante o jantar, que era uma sorte estares ali comigo porque pensaste que tal coisa pudesse acontecer.
Nada disso, não sou nada nem ninguém assim tão importante que tu não possas sair ou conhecer.
Fiquei contente por saber que apesar de gostares de dar uma foda comigo, queres também jantar mais vezes e fazeres de mim, tua amiga.
És um porreiro e espero poder te ver em breve, e não só.

Dás vontade de provar

Depois de uma noite agitada e a qual me fez dormir pouco, decidi que iria dormir um pouco de tarde.
Já tinha combinado novamente algo para a noite o que depois não viria a acontecer.
Não dormi porque não deu e como já tinha sido convidada para ir conhecer a tal amiga e disse que não que ia dormir, aproveitei o facto de não o fazer esaber se o convite estava de pé ou não.
Sim, estava mesmo e combinámos.
Fui ter com eles embora me tivesse perdido primeiro.
À minha espera estava o mais velho e o que conheci 1º.
Falei com 2 beijos embora tivesse a sensação que ele queria que o beijasse nas boca.
Pelo caminho, conversámos um pouco, tentei disfarçar o meu nervoso. Assim que chegámos, fomos apresentadas.
Gostei do ar tesudo dela, é mais velha que eu alguns anos mas acho que a idade dela nota-se mais nos homens que nas mulheres.
Conversámos um pouco e notava-se que ela gostava de ter conversas, digamos que picantes.
Vi que estava um pouco à vontade ali embora eu não estivesse muito mas eu sou assim mesmo, tenho de apalpar terreno e depois logo se vê.
Ela começou a brincar com o mais velho e o outro começou a tocar-me na perna, a mexer nas meias de rede pretas que eu levava. Agarrou-me na mão e começou com aquele ar de doido, com vontade de me possuir ali mesmo.
Saimos e pelo caminho agarrou-se a mim. Começou por me beijar, ficou descontrolado. Diz que o deixo doida ao ponto de ele perder a cabeça.
Ficámos para trás e reparo que os outros 2 também estavam ao beijos, mas pararam assim que nos aproximamos.
Como precisava que alguém me explicasse o caminho, o mais velho veio ter comigo e aproximou-se demais, coisa que não devia de ter feito.
Acabou por me beijar também enquanto os outros estavam ali, mas entre eles nao estava a haver nada.
Isto é a loucura, estar na rua ao beijos a um e depois a outro.
Quando estamos para ir embora, vou-me despedir dela e a 1ª coisa que me passa pela cabeça, é que até estava com vontade de lhe dar um beijo, mas não o fiz. Não sabia a opinião dela sobre mim mas quando demos 2 beijos de despedida, ela disse que tinha gostado muito.
Chegando a casa, eis que começam os convites para irmos para um motel acabar o café da tarde. Estava de rastos e não dava mesmo. Não ia ter a resistência que costumo ter e depois ia ser uma foda da treta e não quero que isso aconteça.
Este corpinho precisa de descanso para essa aventura. Pois penso que como sempre e como os homens, as mulheres são competitivas entre si. Era mau eu chegar lá e não me aguentar.

Salão Internacional Erótico de Lisboa 2009 Fotos

Foi a minha 1ª vez e confesso que nada de especial. Antes de comprar a entrada, ouvi muitos comentários de que aquilo não valia mesmo nada, tinha 2 amigos lá dentro que também tinham a mesma opinião mas isso não me demoveu de entrar.
Assim foi, gajos e gajos, só se viam gajos e com cada um.
Senti-me um pouco observada. Ia de vestido preto um pouco justo ao corpo e acima do joelho, salto de cunha bem alto. Senti-me desconfortável de inicio porque tive de entrar sozinha mas depois na companhia deles foi diferente.
Assim que entrámos, estavam a decorrer alguns shows mas nada de mais. Mesmo assim ainda tirei umas fotos. Não ficaram melhor porque não conseguia chegar à frente, eram só homens agarrados as maquinas e telemoveis a fotografar e filmar.
Visitámos algumas sex-shops e ainda comprei uma coisita mas nada de mais.
Ficam aqui algumas das fotos tiradas.








Hoje?


Porque será que estes convites surgem quando eu não posso.
Recebo sms de um amigo para um experiência unica para todos. Conhecer a amiga deles e estarmos os 4 juntos.
Uma mulher para eu comer, beijar, sentir os lábios dela nos meus, o seu sabor doce, o toque das suas mãos.
Enfim, é pena mas não posso mesmo.

6ª feira à noite


Gostei de te ver, Já faz tempo que isso não acontecia.
Esperavas por mim à porta de casa. Entrámos e ofereceste-me algo para beber, algo forte que ao fim de 5 minutos já causava algum efeito.
Recebes uma chamada que nos faz sair de casa. Vamos onde temos de ir, coisa que não ia demorar muito mas a viagem até valeu a pena. Uma volta de Porche, não é para todos.
Voltámos a casa e à bebida, aquilo subiu-me mesmo à cabeça e de um momento para o outro já eu estava em cima de ti, tu só de cuecas e a trocarmos beijos loucos, molhados e de desejo.
Tiro o que ali estava a mais e lá começo eu a matar saudades de caralho delicioso de 29 anos.
Como é bom poder saborea-lo, e com a lingua começo cá em baixo, onde começo por ouvir os teus gemidos e percebo que gostas que te façam, subo aos poucos e sem esperares, meto-o todo na boca. Gemes ainda mais e parece que te queres vir na minha boca.
Algum tempo depois de te estar a chupar, vens-te e ficas exausto, cansado, a viagem cansou-te.
Disse-te que não precisavas de te mexer nem fazer nada, fiz o broche com gosto e não com a intenção que me desses algo em troca.
Não queria mesmo, sabia que o dia seguinte ia ser em grande e precisava de estar fresca e cheia de vontade par ao meu "doce" mais querido.
No entanto e não vou deixar de salientar, broche só, não faço, ou é tudo ou nada. É só para quem eu quero.
A hora também já ia avançada e eu tinha de ir, já não dava para muito mais.
Adorei estar contigo, sabes que temos um grande à vontade e sabes sempre onde me encontrar.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Finalmente


chega o fim-de-semana, chega o dia em que te vou ter como quero, só tu e eu.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

És ou não?


Se és a pessoa certa para mim não sei
Sei que eu é não sou a pessoa certa para ti

For you
Mr. C

A menina constipou-se


Quem anda à chuva molha-se e quem fode que nem uma maluca dentro do carro e depois sai para a rua quase sem roupa, acaba mesmo por se constipar.

Grande noite a de ontem e como sempre tu estás sempre em grande.
Mais uma vez o carro foi o palco de um momento único, sim, estes momentos contigo são únicos, isto porque já tens um cantinho no meu coração.
Sabes que te adoro, és um querido e entre nós há uma grande maluqueira, uma sintonia enorme. Sabes quando deves de o fazer, sabes como e além disso já me vais cohecendo bem. Sei que não passa disso e nunca passará mas não me interessa. O que interessa é que exista sempre.

Depois do trio que fizemos com o teu amigo, nunca mais estivemos juntos, mas também porque ambos temos uma vida bastante ocupada.

Combinámos então para ontem à noite. Bebemos café e depois seguimos para o local do costume.
Fumámos um cigarro e puxas-me para ti. Gostei da maneira como brincaste com os meus beijos. Sabias que queria sentir os teus lábios nos meus mas andaste a brincar, não me deixavas lá chegar, o que me deu um enorme tesão.
Disseste que gostavas que te surpreendesse com a roupa que levasse e decidi que as ligas era o mais indicado para ti.
Assim na rua encostada a ti, sentia as tuas mãos a precorrerem o meu corpo, a passarem a minha cintura e a descerem até as minhas coxas até sentires o que tinha vestido para ti.
Conforme subias as mãos, subias também o vestido deixando mostrar a renda da meia e tudo o resto.
Dizias que estavas a ficar maluco com aquilo tudo e eu estava a curtir a situação.
Com as tuas mão pela cintura, viraste-me para te sentir por trás. Foi um espectaculo poder estar assim na rua e poder roçar-me em ti.
Fomos para o carro. Tinha saudades tuas, do teu cheiro, do teu toque.
Ficámos no banco do pendura mas disse-te para ires para o teu lado e assim seria mais fácil provar-te.
Que delicia estavas. Todo rapadinho como gosto e vens sempre assim.
Mamei-te com tanto gosto e estava a adorar os gemidos que soltavas, isso dá-me muito tesão e consigo chupar-te com mais vontade ainda.
Agora era a tua vez de meter essa lingua a funcionar. Que lindo o cenário, eu de pernas abertas, botas e meias a verem-se e a olhar para ti enquanto me chupavas e davas um prazer enorme.
Disse-te que não é costume sentir muito prazer no oral mas tu estavas lá no sitio certo, e eu estava a adorar.
Depois disso beijaste-me com o meu sabor à mistura. Que delicia, enfiaste então os dedos devagar e fodeste-me com eles e ao mesmo tempo acariciava-me.
Estava mesmo quase para me vir e vejo no teu rosto o prazer que estás a ter, digo-te que me vou vir.
Foi um orgasmo intenso demais, estava a precisar dele e de libertar de tanta tensão acumulada.
Respirei fundo e voltaste a tocar-me mas o que eu queria mesmo era ter-te dentro de mim.
Sentaste-te e meti-me numa das minhas posições favoritas, eu por cima.
Aquilo é que foi quando entraste em mim, fodi-te tanto e tu só me pedias para eu te foder. Bateste-me, puxaste-me os cabelos, trataste-me mal, trataste-me como mereço e eu estava a adorar ser tratada assim por ti.
Tens um à vontade incrivel e sabes quando deves de fazer as coisas.
Cavalguei tanto em ti que o suor ja me escorria pelo rosto, as pernas já me doiam e tu parecias estar a adorar tudo aquilo.
Ao fim de algum tempo, não sei quanto, virei-me de costas para ti. Querias o meu cu e assim o tiveste.
Não foi preciso muito para te vires porque ele é bem apertadinho e só te ouvia gemer e quando gritas, é quando te vens.

Aquele carro cheirava a sexo e é tão bom essa sensação.
Ali viveu-se algo em grande e tu és a prova viva que a vida tem de ser vivida da melhor maneira e que temos de saber usufruir daquilo que temos.

Adoro-te muito mesmo.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Coração





Bem, lá estou eu novamente a arrumar...........
Sim, a arrumar o meu coração
Esse orgão fantástico, único e que a mim...
Me dá muitas dores de cabeça, sem duvida

Sacudo daqui, limpo dali
Enfio coisas em alguma gaveta
Que esteja mais "vaga"
Tiro situações cá para fora, e lixo.............

Mas o que tem de bom o meu coração
é que ta sempre, vivo, sem sítios onde não possa ir....
Sem gavetas trancadas,,,,
Ou com tanto pó, que tentar limpar seria uma loucura...............

É um coração, limpo, com umas marcas
Claro, não sou perfeita
Mas acima de todo, que sente
Bate, ama e sobretudo ama-se a si próprio.

Lindo, único, fantástico, maravilhoso

O MEU CORAÇÃO

Vem


Tenho sede, fome, vontade de sentir um arrepio.

Desencontro


Tantos desencontros entre nós
Sei que em breve estaremos juntos
A viver o que queremos, o que sentimos
Pensas que te evito mas pensas mal
Vem até mim e verás

Para ti
J. I.

Para além


Olho no espelho
Vejo além de mim
Preciso de espaço para os meus desejos
Tenho que mergulhar nas minhas fantasias
Eu sei que assim que chegar
Tudo é possível
Porque não há ninguém escondido
Além do invisível
Feche os olhos
Somente sente e realiza
Isto é real e não um sonho
Eu em ti e tu em mim
Já é hora
De quebrar as correntes da vida
Se tu seguires
Verás algo além da realidade

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Haverá


por aí alguma menina disponivel para algo a 3 ou até mesmo só a 2?
Apetece-me algo diferente, algo doce.

Se tentei

Sim, tentei encontrar algo que me levasse a ficar presa a ti, mas confesso que não encontro nada de bom.
Não consegues ser verdadeiro uma unica vez, estou mesmo muito desiludida.
Sabes? Não te obrigo a nada.

Tu

foste aquilo a que se chama um mal entendido.
Quero que me faças apenas um favor, esquece que alguma vez passei pela tua vida.

Salão Internacional Erótico de Lisboa 2009

No próximo fim-de-semana irá realizar-se o Salão Internacional Erótico de Lisboa 2009.
Uma das atracções é o swing, algo que me interessa bastante e o qual estou prestes a fazer a minha estreia.

Apareçam por lá.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Palavras para quê?

 
Depois de tanta troca de sms's e de tantas coisas que foram ditas e não deviam de ter sido, decidimos que estava mesmo na hora.
A foto ja me tinha deixado com água na boca mas a vontade não era muita.
A culpa foi tua, não devias de ter dito que querias que te ensinasse uma coisas. Pensei logo que ia tudo ser uma porcaria, tempo perdido.
Hora combinada e local combinado. Ar de menino sossegado. Casa dos 20 anitos. Já o conhecia mas digamos que parecia que faltava algo.
Dizia estar nervoso e para eu ter calma. Parámos o carro e passámos para trás. Como sempre, não avancei. Deixei que fosse ele o que achou curioso e comentou.
Nunca sou eu a dar esse passo mas penso que isso irá mudar em breve.
Vestido preto, bota cano alto, meia com liga. O rastilho estava ali e aquilo pegou fogo num instante.
Rapidamente ele estava sem roupa. Pernas lindas, corpo lindo, enfim, tudo lindo mesmo e até me fez uma certa confusão, como ele se mantém longe das fodas, das miudas.
Quando vejo aquele pau, passo-me por completo, nunca vi algo tão grosso.
Ainda vestida, coloquei-me em cima dele para me roçar. Fiquei doida mesmo e ele doido ficou ao ver as meias e as ligas.
Queria prová-lo. Enche-me a boca por completo, enche-me a boca de prazer, de tesão. É uma delicia chupar naquilo. Mas tinhamos um problema pela frente, o tamanho dos preservativos.
Já agora quando forem para algum lado, convém que estejam prevenidos, pois as mulheres não sabem as medidas.
Depois de o mamar algum tempo, não muito ele disse-me que não se vinha com broche mas penso que isso deve de ser falta de jeito da pessoa com quem ele esteve.
Comigo, vais-te vir sim nesta boca e com este broche, te garanto.
Claro que ele disse que estava a ser o melhor broche da vida dele, que eu estava uma delicia com aquela roupa.
Fui buscar o preservativo e com algum custo lá o meteu. Ficou um pouco apertado o que atrasou um pouco o processo. Que chatice, assim deu mesmo para queimar-mos umas calorias.
Assim que o mete, eu monto-o. A coisa não está fácil devido às condições. Mesmo assim não consigo deixar de lhe mostrar o quanto era bom sentir aquela coisa tão grossa que nem os meus dedos conseguem medir.
Enche-me as medidas mesmo e assim do nada, tenho um orgasmo. Incrivel como tenho um orgasmo tão rápido, é raro acontecer. Começo a achar que todos os desencontros tiveram algum significado.
Perguntou-me se eu estava bem mas disse-lhe que sim, apenas precisava de respirar fundo. Continuei a montá-lo e a sentir-me cheia com ele. Queria trocar e meteu-se em cima de mim. Olhar para aquele corpinho de quem tem vinte e poucos anos, deixou-me doida. Vê-lo ali a foder-me com ar de quem estava a ter imenso prazer. O suor escorria pelo corpo que tocava no meu.\
A foda estava a ser tão boa que lhe perguntava o que seria que eu tinha para lhe ensinar.
Trocámos novamente e ele entra por trás. Aquilo é que foi senti-lo todo lá dentro e tu só perguntavas se eu o sentia mesmo. Sentia e bem.
O mais engraçado é que fez uma posição que é a 2ª vez que a fazem comigo e por isso ainda pergunto onde é que tenho algo para lhe ensinar.
Enfim, a coisa continua e eu volto a meter-me em cima dele mas de costas para ele. Sentia-o a entrar e sair, que sensação tão boa. Ouvia-o a gemer e a dizer que eu estava uma delicia de tão molhada que estava.
Voltámos à outra posição, eu de quatro e ele por trás. Pedi-lhe para me foder o que o deixou louco de vontade. Começo a ter um daqueles orgasmos que não chegam a ser orgasmos mas que são tão bons e eis que ele me diz que se vai vir.
Ui, foi o momento da noite ouvi-lo. Mas que foda boa.
Estava dificil mas foi, agora só te quero numa cama, ai sim, vais ver quem eu sou.

Meias pra quê?

 
A coisa mais engraçada que acho num homem, quando o mesmo se despe todo para foder, é ele ficar de meias.
Não sei qual a finalidade mas por favor, poupem-me a esse pormenor. Quem diz de meias diz com outra coisa qualquer.
Um homem quer-se sem nada, assim como veio ao mundo. E quando tem um corpo bonito de se ver, ainda melhor.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Até um dia


Se foi, não sei, só sei que quando te vi estremeci. Estava nervosa porque te ia ver ao fim de quase 1 mês de separação. Durante o dia comentei que não tinha vontade de ir, não sei a razão, talvez por ter demasiada gente à minha volta neste momento. Por ter demasiada atenção.
Gosto de ti sim, mas tu mais uma, vez dizes coisas que não sentes. Quando entrei no teu carro, beijaste-me mas sinceramente não consegui corresponder ao teu beijo.
Adoro os teus lábios, o teu toque mas esta ausência e o que me fizeste passar, afastou-me de ti.

Fomos em direcção ao motel e manifestei a minha vontade de pedirmos um quarto com jacuzzi. Queria fazer umas brincadeiras lá dentro.
Chegando ao quarto, abraçaste-me para matar saudades, para me sentires mas eu não estava a conseguir ser aquela pessoa que conheceste, não consigo fingir e tu notas isso melhor que ninguém.
Perguntaste o que trazia no saco e disse-te que era algo para usar para podermos fazer umas fotos.
Sabia que estas fotos que eu tanto queria, só poderiam ser feitas contigo, sei que só me iria mesmo sentir à vontade contigo.
Antes ainda te deitaste na cama e eu adorei poder-me meter em cima de ti e saber que estava com as meias, as cuecas e as botas e que por cima, tu observavas tudo através do espelho.
É sempre estranho e como tu dizes, nós vamos para foder, mas depois ficamos ali, aos beijos e abraços, mas eu queria festa sim, tu não, tu ontem estavas mais virado para outro lado, só não entendo como podes ser assim comigo, dizeres que gostas de mim e que me queres foder e depois chega a altura e agarras-te, queres o meu carinho, os meus mimos, a minha atenção.

Fomos então para a sessão fotográfica e eu já estava maluca. As fotos serviram para me ajudar a ficar com mais vontade de te sentir. Mas essas, vão ficar guardadas no nosso álbum de recordações. Recordações de alguém que viveu dias muito felizes ao teu lado.
Depois da fotos e já cheio de vontade de me comeres, mandas-me deitar, deito-me e aproveito para tirar umas fotos sozinha, através do espelho. Ficaram fantásticas.
Começaste por me lamber, já tinhas saudades dela e ela já estava tão molhada mesmo.
Estava a ser tão bom poder ver-te no espelho, poder ver o que me fazias. Mas sabes que queria mesmo era sentir-te dentro de mim. Pedi-te que o fizesses mas antes querias o meu famoso broche que tanto adoras.
Assim foi. Antes ainda abri a garrafa do champanhe para poder ir mais fresca para o meu grande broche.
Deu-me tanto gozo o que te estava a fazer por ter as meias e os sapatos. Senti-me mesmo uma puta, vesti-me assim para ti, foi a primeira vez que o fiz com alguém.
Como queria portar-me mal, pedi-te para abrires bem as pernas de modo a que conseguisse chegar onde nunca tinha chegado contigo.
Sabes que não gosto de pêlos e no final admitiste que fiz um grande esforço para fazer o que fiz. Sim, fiz mas sei que ias gostar.
A minha língua andou ali de volta das tuas bolas que são tão boas, sim, lá isso são e sem pelos ainda devem de ser melhores.
Os teus gemidos passaram a gritos de quem nunca tinha tido essa mesma sensação. Pedias para te chupar o caralho mas eu estava ali de volta delas,e para te torturar ainda mais, fui muito devagar por ele acima, queria que desejasses a minha boca mais do que nunca.
Quando cheguei ao topo, já ele estava babado, louco e para ajudar, ainda o molho mais, coisa que tu adoras.
Comecei então a metê-lo na boca devagar, cada vez entrava mais, até que consegui abocanhá-lo todo. Dizes sempre que o broche é o que melhor te faço, mas acredita que o melhor estava para vir.
O prazer que estavas a ter estava a ser muito e disseste para eu parar porque estava na hora de me sentires.
Fiquei louca ao ver-me ao espelho, em cima de ti, com as meias pretas.
Quando te senti a entrar em mim, confesso que não foi o mesmo que antes, fiquei triste mas talvez assim tenha percebido que apesar de gostar imenso de ti, o que fizeste fez-me perder tudo o que sentia., fez-me perder a magia.
Comentaste isso, viste na minha cara que não estava a ter o prazer do costume e estavas certo, não estava mas tentava e como não dava certo, quis fazer a tal posição que desconhecias.
Perguntaste com quem tinha estado eu para aprender isso, mas que interessa? Nada mesmo, não conheces a pessoa.
Disse-te para te sentares e depois fiz o resto. A posição era muito boa sim e avisaste que não te ias aguentar assim tanto tempo sem te vires.
Não me importei, pois a 2ª volta viria depressa, como estava enganada e não sabia que não haveria mais nada.
Depois de te foder como queria, avisaste que te estavas a vir e assustei-me a sério, nunca pensei que gritasses como gritaste. Fiquei com medo que alguém fosse ligar para saber se estava tudo bem, é que gritaste mesmo.
Quis sair de cima de ti mas disseste para continuar porque ele estava duro e assim iria continuar.
Continuei mais um pouco e depois vieste tu para cima de mim, pedi-te para mudares o preservativo não fosse ele sofrer algum acidente e depois seria muito grave.
Mudaste e voltaste a entrar em mim. Continuava de meias e estava mesmo a gozar a visão que estava a ter das minhas pernas para cima e tu a foderes-me. Ao mesmo tempo tocava-me mas o raio do orgasmo não queria sentir.
Enquanto me fodias, soltavas gritos de guerra como se para ti estivesse a ser uma batalha estares ali a foder-me. Sei mesmo que não sou fácil de satisfazer mas não tenho a culpa da tua falta de resistência.
Voltei a meter-me em cima de ti, que bom estar a sentir-te. Olhava para o espelho e admirava a minha figura ali, em cima de ti. Meti as pernas para a frente e conseguia ver o teu caralho a entrar e sair dentro dela.
Finalmente preciso de descansar. Deito-me ao teu lado e converso sobre o que se tinha passado.
Tudo isso levou-te a um estado nunca antes visto. Fiquei chateada sim, pois não havia reacção da tua parte, nem um beijo me davas.
Concordaste com as minhas palavras, sei que é difícil admitir algumas coisas mas penso que precisavas de ouvir, não é para teu mal.
Foram ditas muitas coisas, muitas mesmo e espero que te tenha servido para alguma coisa.
Querias ir embora e eu perguntei se o meu orgasmo não ia sair, ao que respondeste que já não eras capaz de fazer mais nada.
Na boa, fiquei furiosa mas que queria eu?
Fui meter a água a correr para tomar um banho relaxante. Meti gel de banho para ficar com espuma e esquecer o que se estava a passar.
Apareces tu que me acaricias o cabelo e o rosto. Ligas o jacuzzi. Vais-te sentar e a banheira começa ficar com imensa espuma por causa do jacuzzi. Pego em alguma espuma e começo a brincar e a soprar para cima de ti. Nem nessas brincadeiras és capaz de entrar.
Comecei a ficar doida com todo aquele movimento na banheira e virei o chuveiro para a minha rapadinha.
Foi um espectáculo lindo de se ver, nunca o fiz para ninguém.
Comecei a acariciar-me, a sentir as bolhas a darem-me prazer. Metia os dedos nela e tu sempre ali, quieto a observa-me. Que confusão me estava a meter e por isso nunca mais me vinha.
Desliguei por completo, apoio os pés na banheira e levanto a bacia de modo a que possa ficar com ela fora da água. Continuavas a observar o espectáculo. Baixava-me para sentir a água quente que me dá imensa tesão. Começo-me a passar de ver, já tinha espuma por todo o lado. Fecho os olhos e entrego-me ao que estava a fazer e eis que tive um orgasmo bem intenso, mas muito mesmo.
Depois de descansar um pouco, levanto-me, tiro a espuma e tu estás com a toalha à minha espera.
Agarro na tua mão para sentires como o meu coração esta a bater tão rápido, assustaste-te mas queria que visses que foi mesmo bom o que tinha acabado de fazer.
Como estava com sede, bebi mais um pouco de champanhe, mas aquilo começou a bater-me e comecei a falar demais.
Pedi-te para irmos porque podia dizer algo que não devia mas tu querias que eu falasse.
Já tinha dito tudo o que tinha para dizer.
Pelo caminho, falámos pouco mas disse-te e torno a dizer. Independentemente de tudo, vivi contigo momentos únicos e tens noção disso. Acho que te devias sentir especial, porque é bom quando alguém faz de nós uma pessoa especial. O problema é que não sabes estimar o que tens.
Disseste que falava de ti como sendo passado, falei sim porque acho que ficará por aqui. Gostava de me enganar mas não me posso andar a enganar a mim mesma.
Somos muito diferentes, dizes tu, não, somos iguais sim mas eu faço tudo ao contrário de ti porque me fartei da vida que tinha e sei que hoje, tenho um grande orgulho, pelo que fui, pelo que sou e por aquilo que ainda serei.

Nunca te esqueças que já foste muito na minha vida e poderás contar comigo sempre que precisares. Agora nunca me peças aquilo que tu nunca me poderás dar e lembra-te, se não deres nada de ti aos outros, muito pouco de ti acabará por valer alguma coisa.
Lembra-te também que ambos perdemos, mas dos dois quem mais perde és tu, porque eu posso vir a amar outro como te amei a ti, mas a ti nunca ninguém te amará como eu te amei.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

As saudades

que tinha eram muitas mas nada fazia previr que fosse ter contigo novamente.
Ficou combinado no Sábado mas como eu tinha a sensação que o periodo me tinha vindo, disse-te que no Sábado talvez não desse para fazer o que combinámos.
Disseste que não havia problema que podias na mesma ir ter comigo e estavamos juntos.
Falámos no msn e às tantas perguntas o que quero de ti, eo que respondo que por enquanto não quero nada uma vez que também não sei as tuas intenções.
Parece que estamos os 2 iguais apesar de ter algum receio de confiar em ti.
Mas disse-te que gostava muito de estar contigo e que mexeste comigo bastante, tu disseste exactamente o mesmo e o que ficou combinado, foi deixarmos as coisas andarem e se algum de nós vir que não passam apenas de bons momentos, temos de avisar o outro para nenhum sair magoado.
No entanto a minha frase de msn dizia que precisava de mimos e pediste para eu ir ter contigo à noite, disse por diversas vezes que não ia mas tinha muita vontade de estar contigo, de ver o teu rosto, o teu sorriso, de te ouvir, de te beijar.
Acabei por desmarcar o que tinha e acredita se fosse outra pessoa qualquer, eu nunca iria fazer o caminho que fiz, com a chuva e o vento que estava, só para estar contigo 1 hora. Mas vale sempre a pena.
Chegando ao lugar combinado, lá estavas tu. Chovia bastante e ficámos mais uma vez no carro. Deste um beijo para me cumprimentar e falámos um pouco. Via-se que estavas cansado e deitaste o banco. Fiquei sossegada sem demonstrar que estava mesmo com muita vontade de te beijar, não queria que o nosso encontro acabasse em sexo novamente. Tinha-te dito que estava com o periodo mas mesmo assim insististe em que fosse ter contigo, para me dares os mimos que tanto queria.
Comentaste que era bom estarmos ali a namorar, claro que não somos namorados, pois não há sentimento para tal, mas sabe bem ouvir essas coisas.
Conheço-te tão pouco mas adorava que o fosses sim, acho que não há muito mais para descobrir sobre ti e vejo que tu és simples, falas de tudo na boa e não me pareces esconder muita coisa. Só não sei como és na net e com quem falas mas prefiro não pensar muito nisso, pois quanto mais o faço, pior.
Passei para o teu lado, ficámos juntinhos, tu estavas fardado e adorei ver-te assim, adoro mesmo. demos uns beijos molhados e com saudades, so dizias que era bom demais estar comigo.
Depois de já estarmos um pouco alterados, eis que alguém te chama. Foste mas não demoraste e os teus colegas sabiam que estavas com alguém lá fora. Não fizeste questão de o esconder e isso fez-me sentir especial.
Bebeste vinho do Porto e disseste logo que estavas a ficar com calor, é o que faz não se estar habituado a beber.
Dei por ti a olhar para mim, com um ar ternurento e perguntei o que se passava, disseste que estavas apenas a olhar-me e que gostavas de o fazer, que não era só eu que gostava de ter esse prazer. Fiquei babada.
Passei outra vez para o teu lado e ai a coisa aqueceu mesmo. Via no teu olhar que me desejavas.
Não houve foda para ninguém mas tu quiseste mexer na minha rapadinha por cima das calças. Como não me vinha, disse-te que ia eu brincar com ela e ao afastar as calças, aproveitaste e meteste a mão lá dentro. Equanto enfiavas os dedos, eu acariciava-me mas a tua falta de jeito, ai ai. Temos de estar só para te poder conduzir à melhor forma de me dares prazer com os dedos. A tua lingua ainda não a senti, será que não gostas?
Depois de um orgasmo intenso e já com as horas a chegarem ao limite, toquei-te e senti que estavas duro.
Disse-te que te ficava a dever uma mas tu disseste que não, que não tem de ser obrigatóriamente assim. Só faço se quiser e é claro que queria mas o tempo é sempre o maior inimigo.
Como sei que te ias vir rápido, pedi-te para tirares as calças e enquanto me aproximava dele, olhava para ti e via novamente a expressão no teu rosto. Minha nossa, estou a ficar maluca por ti.
Foi então que o mamei até ao fim, tu ajudavas com alguns movimentos e disseste que estavas mesmo quase a vir-te. Suavas por todo o lado, estavas num estado lastimável e quando fosses para dentro, os teus colegas iam ver que tinha havido festa.
Avisas que te estas a vir e sinto-te na minha boca, sinto o teu leite, e enquanto te vens, continuo a chupar e a ver qeu estas mesmo maluco.
Engulo o que me dás, é pouco e fico contente que assim seja, mas sabes bem, gostei imenso de o ter feito, não gosto de o fazer e até aquisó o fiz com 2 pessoas. Nem com o rapaz que me dá o maior tesão do mundo, eu sou capaz de o fazer.
Bebo água, limpas-te e beijamo-nos novamente. Foi adorável.
Ando a ficar perdida por ti e não quero.

Os meninos

andam loucos. Troco mensagens com os 2, cada um pior que o outro, sempre cheios de tesão e de muito prazer para dar. Os convites não faltam de ambas as partes mas não tenho tempo para todos e além disso também preciso de dedicar tempo a quem mais gosto.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Hoje

acordo com uma mensagem que dizia algo que quero à muito tempo. Acontece que agora que conheci o M., não sei bem o que se passa.
Talvez seja pela novidade mas que me desliguei um pouco do P., isso sim.
Gosto dele e muito, ainda mexe comigo e faz com que o meu coração palpite mas ele fez coisas que não se fazem a ninguém.
Não foi nada de grave, apenas magoou-me.

Ontem

 
à noite, meti 4 gajos a bater punhetas à minha conta. Isto é incrível como eles são malucos e eu ainda mais.

Quero-te

Não sei onde isto vai parar mas sei que finalmente chegou a hora de fazermos "o amor".
Dizes que é amor porque sentes algo mais do que atracção por mim e já consideras isso, fazer amor. Na minha opinião acho que é sempre sexo, sei lá. Será que há diferença? Acho que não.
Enfim, lá fui eu buscar.te à estação. Calça de ganga que deixa mostrar esse corpinho lindo, esse rabo fantastico, camisola às riscas quase colada ao corpo, enfim, uma tentação de homem.
Fomos às bombas e adorei o teu gesto. Paguei o gasoleo e tu pagaste metade, depois disso quem abasteceu foste tu e achei imensa graça a isso, já à algum tempo que ninguém o fazia por mim.
Sou uma maluca que adora sexo mas também gosta destes pequenos gestos.
Em seguida fomos para o lugar que costumo ir, mas como era cedo, haviam imensos carros a passar e não estava a ser muito agradável.
Como tinha acabado de beber café, apetecia-me um cigarro e assim que estacionei, sai e acabámos por fumar os dois.
Logo ali, trocámos uns beijos daqueles, agarrámo-nos um ao outro, senti-mos os nossos corpos cheios de desejo, a vontade toda de estarmos dentro um do outro.
Acabando o cigarro, ainda ficámos um pouco mais na rua. Assim deu para aquecer mais a coisa, passávas as mãos no meu corpo, nas minhas nádegas, beijavas o meu pescoço, cheiravas-me e dizias que adoravas e que era tão bom.
Estava um pouco de frio e como nós já não estávamos grande coisa, disse-te para entrarmos.
Lá dentro as coisas aqueceram a sério. Ficámos os 2 no lado do pendura, como estava de vestido, era mais fácil poder sentir-te e assim, meti-me em cima de ti e rocei-me que nem uma maluca até quase ter um orgasmo. Apesar de teres um pouco de falta de jeito, fizeste-me ter um bom orgasmo apesar de ter de me tocar também. Tu com os dedos lá dentro e eu a esfregar a minha rapadinha.
Depois disso, quis ver como era o Junior, já o tinha sentido mas nunca lhe tinha metido a vista em cima.
Desaperto-te as calças, e eis que aparece ele, lindo, perfeito, com pêlos mas poucos, nada que atrapalhe. A medida certa para o poder chupar à vontade. Brinco com ele um pouco e uma das coisas que mais adoro, é ver a expressão do teu rosto quando estás mesmo com vontade. Soltas uns gemidos de prazer, brinco com ele, passo a lingua nas tuas bolas, subo até à ponta e com a lingua, brinco mais um pouco até o abocanhar aos poucos.
Parámos porque estava próximo e o que eu queria mais, era sentir-te dentro de mim.
Metes o preservativo e eu meto-me em cima de ti novamente. Bem, foi de ir ao céu mas pediste para ter calma senão irias-te vir num instante mas eu estava a curtir tanto que não me apetecia parar.
Fiz uma breve pausa e comecei novamente a foder-te, bem, já não aguentavas mesmo e eis que te vens que nem um maluco. Adorei poder olhar para ti e ver a tua cara enqaunto te vinhas.
Cheios de calor, abrimos as janelas um pouco. Tinhas as calças e cuecas para baixo, eu o vestido para cima e de repente vejo o carro da policia passar. Vieram devagar, deram a volta à rotunda e disse-te para te vestires.
Pararam ao pé do carro mas nada fizeram, de certeza que tiraram a matricula como da outra vez, qualquer dia sou mais conhecida do que sei lá o quê.
Saimos, fumamos um cigarro e fomos até um local, perto do sitio onde tinha de te levar.
Quando chegámos não achei muita graça, porque estacionei o carro em cima do passeio e estava sempre com receio que passasse alguém.
Passei mais uma vez para o lugar do pendura mas desta vez foste tu que te meteste em cima de mim. Mais um sessão de roça roça, e como já estávamos bem quentes, meteste outro preservativo e entraste em mim. Levantei bem as pernas de modo a que te sentisse bem fundo. Como era delicioso sentir-te e ver a tua cara de prazer enquanto me fodias.
não te querias vir mas o momento estava a ser bom demais e eu estava com os meus "quase orgasmos", que são tão bons como os orgasmos mesmo.
Vens-te que nem um maluco e descansamos novamente. Ficamos ali à conversa a falar das nossas vidas, familias, enfim, foi tudo engraçado.
Como gosto de estar contigo.

Será que tenho mel?

Pois, não sei bem o que tenho, só sei que ando sem mãos a medir para tantas sms's.
O pior é que todos eles são uns pecados dos grandes e às tantas não sei para onde me hei-de virar.
Quero-os a todos, quero senti-los, ando como nunca andei, doida e sedenta de prazer e loucura.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Que frio

Sem perder mais tempo e depois de termos falado no msn e dizermos que afinal podia ter havido algo mais, ficou quase a promessa que quando entrasses no meu carro, me darias um beijo daqueles mas eu disse-te para não o fazeres.

A determinada altura confessaste que tiveste vontade de me agarrar mas que não o fizeste, malandro o menino.

Estava nervosa, sabia que iria haver algo entre nós mas como não ia com ideias de mais nada, fui de calças e também estava mais frio que na noite anterior.

Apanhei-te no sitio do costume e fomos até onde tinhamos estado na outra noite. Não fomos beber café para não perdermos tempo.

Andámos um pouco e decidimos sentarmo-nos mas depressa ficámos com frio. Acho que isso serviu de desculpa para te chegares para mim e me beijares.

Foi um beijo atrapalhado mas depressa apanhámos o ritmo, estava a ser tão bom. Senti o teu sabor e reparei que fumávas mas não dei parte fraca até porque no dia anteriror nenhum de nós o tinha feito.

Até que depois confirmei contigo e expliquei-te que não tinha fumado porque não gosto de ser desagradável.

Como as coisas estavam a aquecer entre nós, sugeri que fumassemos um cigarro. Levantamo-nos e fomos andando para o carro, estava mesmo frio e fomos agarradinhos o caminho todo. Tão bom que é sentir o teu calor, o toque da tua pele.

Chegámos perto do carro e quiseste ficar por ali, estava menos frio e sentámo-nos novamente. Já não dava para controlar muito mais o desejo que tinhamos mas eu mantive sempre a minha postura.

A certa altura agarraste-me por trás e senti que estavas bem maluco. Mais à frente havia um pequeno degrau, sentaste-te e disseste para eu me sentar em cima de ti de pernas abertas. Ainda bem que fui de calças porque senão teria acontecido ali mesmo, ou talvez não, eu não tinha os preservativos comigo.

Sentei-me e beijámo-nos que nem uns loucos. Sentias a minha respiração cada vez mais rápida e eu a tua. Abri bem as pernas e comecei a roçar-me em ti. A certa altura ja soltava uns gemidos de prazer. Aquela loucura estava a ser demais, o facto de passarem algumas pessoas e também o facto de eu me movimentar como se estivesses dentro de mim, faziam-me ficar cada vez mais louca.

Sentia-me cada vez mais molhada e cheia de vontade, até que solto algumas asneiras e tu reages dizendo que adoras isso.

Dizes que te ponho louco. Peço-te desculpa porque não te conheço bem e não sei se gostas mas dizes para eu continuar até que quase tenho um orgasmo.

A hora está a ficar apertada e tenho de te levar. Além disso já tenho 1 mensagem de um amigo a perguntar por onde andava eu. Tinha combinado com ele e mais um amigo dele para irmos beber um café por ali.

Bonito serviço, ia ter com eles e cheia de tesão, cheia de vontade para foder.

Quando chego a casa, trocamos algumas mensagens a dizer o que sentiamos e disseste que eu tinha mexido muito contigo. Não sei de que forma foi mas estaremos aqui para ver o que trará esta nova aventura.